Mercado Imobiliário em 2017

  04 de Janeiro de 2017    

Após um ano de crise e recessão econômica como foi 2016, existe uma expectativa grande sobre como o mercado irá se comportar em 2017. Para o mercado imobiliário existem muitas perspectivas de melhora.

Uma grande preocupação daqueles que atuam diretamente no mercado de imóveis é a chamada bolha imobiliária. Em reportagem publicada em Julho de 2016, a Infomoney demonstra com clareza que a bolha não existe mais e novas oportunidades estão surgindo nesse mercado.

Com projeções mais otimistas, 2017 promete ser um ano mais aquecido para a negociação de imóveis. Separamos os principais fatores que irão influenciar o mercado imobiliário neste ano para que você esteja preparado para iniciar o ano de trabalho com sucesso.

Desaceleração da inflação

Um dos principais motivos para a recessão do mercado em 2016 certamente foi a alta inflação. Os últimos relatórios do Banco Central apontam que a inflação brasileira caiu de 10% para 7,2% e projeções apontam uma taxa de menos de 5% em 2017, conforme reportagem publicada na revista Valor Econômico.

Isso significa que o Real estará mais valorizado, consequentemente, o poder de compra o consumidor aumenta, tornando maiores as chances de comprar e locar imóveis. Além disso, a diminuição da inflação torna a economia mais estável, criando um cenário ideal para alugar um imóvel mais confortável e investir um valor mais alto em imóveis.  

Crescimento econômico

Não existem dúvidas de que 2016 foi um ano de recessão econômica e crise no Brasil. O mercado de imóveis sentiu com força os efeitos desse momento negativo com a queda de preços dos imóveis e receio das pessoas em investir ou fazer dívidas.

Porém, dados apontam que um período de queda na economia é sucedido por outro de forte crescimento. O consultor econômico Ricardo Amorim tem confirmado essa informação com pesquisas completas em seus artigos e palestras. Por isso, para 2017 podemos esperar um crescimento econômico relevante.  

Redução da taxa de juros

Altas taxas de juros é um fator que obriga o consumidor a pensar duas vezes antes de investir em imóvel. Isso porque os empréstimos e financiamentos com taxas mais alta tornam maior o custo do imóvel a longo prazo.

Em 2017, a estimativa é que essas taxas sejam menores, uma vez que foi reduzida 2 vezes em 2016. A tendência é que diminua ainda mais, facilitando a aquisição de imóveis, já que torna o comprador mais confiante no mercado.

Produto interno bruto (PIB)

O crescimento do PIB é outro fator que torna o cenário do mercado de imóveis mais favorável. A expectativa é que em 2017 o PIB cresca mais de 1,3%, dado comprovado por diversas instituições. Esse é um indicador que mede o desempenho da economia brasileira de forma geral, incluindo o mercado de imóveis.

Diminuição do número de desempregados

Com uma menor taxa de desemprego no país, existe uma maior circulação financeira e também maiores chances de investimento em imóveis. Além disso, sem um alto risco de perder o emprego as pessoas se tornam mais confiantes para comprar. Com uma maior circulação de dinheiro, as empresas também têm um maior capital acumulado. Esse cenário cria um panorama positivo para o mercado imobiliário em 2017.

A economia brasileira dá sinais de recuperação. 2017 promete ser um ano de crescimento econômico, e consequentemente, positivo para o mercado de imóveis. Você está preparado para trabalhar duro durante esse período favorável? Deixe sua resposta nos comentários!


2 avaliações, média 5.0 de 5

Sobre o Imobilinks

O Imobilinks oferece em uma solução integrada site e sistema para corretores de imóveis e imobiliárias. Nossos modelos de site são otimizados para todos os dispositivos incluindo tablets, smartphones e SEO. Pelo sistema é possível exportar anúncios para diversos portais imobiliários e redes socias.

  Contato

Rio de Janeiro

Rua Marquês de São Vicente,
140 sala 302 - Gávea

  Horário de Atendimento

Segunda a Sexta: 9h00 as 18h00

  Siga-nos nas Redes Sociais